AMD FX-8350, FX-8320, FX-6300 e FX-4300 geração “Vishera” lançados

No último ano, o lançamento da AMD em CPUs para o mercado desktop foi um grande desapontamento, problemas de performance e eficiência energética mancharam a linha Bulldozer da empresa, que não era melhor nem se comparado com os já existentes modelos Phenom. Já contra Intel, a coisa ficou pior, o modelo TOP da AMD, o FX8150 se comparava um pouco em performance com a linha Core i5, destinada ao mercado intermediário, mesmo assim acabou não sendo uma boa opção. Para complicar, antes que AMD pudesse ter a chance de melhorar o FX8150,  Intel se adiantou e lançou a geração baseada no Ivy Bridge na qual se afastou tremendamente de qualquer comparação possível com a geração da AMD,  sedimentando a noção de que as CPUs da AMD parariam no tempo em performance  e eficiência energética.

VISHERA CHEGOU

AMD lançou na última semana o chip Vishera, que substitui os núcleos Bulldozer do chip Zambezi pelo núcleo Piledriver, o mesmo núcleo presente na APU Trinity, porém sem o suporte gráfico que existe na APU, apenas a melhoria de eficiência.  Vamos a um comparativo do Vishera com os demais chips envolvidos neste mercado:

O Vishera é construído ainda em 32nm, assim como o Zambezi foi  e como a primeira geração do Sandy Bridge também é,  AMD não pode avançar nodos de fabricação mais pois é estritamente dependente de empresas como a GloFo que tem limitadas capacidades litográficas se comparadas à Intel por exemplo,  então “o que tem para a AMD é isso em termos litográficos”.

Tabela de modelos Vishera e Zambezi comparados:

 Reparem que pouca coisa mudou em termos de especificações, nem TDP, nem tamanho dos caches e nem contagem de quantidade dos núcleos, AMD aposta que a mágica será feita pelo núcleo Piledriver, mais eficiente.

AMD posiciona a linha Vishera para competir com os Core i5 e Core i3, confirmando seu anúncio já a alguns meses atrás de abandonar o mercado TOP de desempenho, portanto, se alguém tinha esperanças de ver a AMD voltando melhor em performance máxima, esqueça.

Abaixo alguns testes de performance do site Anandtech.com:

Basicamente, a nova filosofia de crescimento de performance da AMD é insuficiente para pegar a Intel por pelo menos em duas gerações previsíveis, o  Steamroller e o Excavator, já que a empresa projeta crescimentos de performance de 10% a 15% ano a ano.

O consumo também do Vishera é algo negativo, principalmente se comparado a qualquer coisa que a Intel tenha feito para o mercado desde o Core i7 920:

Em performance hoje, o Vishera PileDriver é um pouco melhor do que foi o Zambezi Bulldozer, melhorias energéticas permitiram um clock mais alto nos chips sem necessariamente existir um aumento de TDP, mas mesmo assim insuficiente para bater plenamente os Core i5, como foi no passado.

Quanto ao futuro, tudo é incerto, AMD espera que no Steamrolle, exista uma melhoria da quantidade de instruções processadas, mas alguns questionam como isso será alcançado sem nodos litográficos novos que estarão disponíveis somente a partir de 2014.

 

 

Comentários (via facebook)

Comentários

Comments are closed.

Comments are closed